Cuba nomeia primeiro-ministro depois de mais de 40 anos

Presidente cubano escolhe responsável pela pasta do Turismo para assumir cargo que foi eliminado em 1976. Manuel Marrero era o ministro com mais tempo de governo, indicado em 2004 por Fidel Castro.

23/12/19 – 10h41

Cuba voltou a ter neste sábado (21/12) um primeiro-ministro depois de mais de 40 anos. O presidente cubano, Miguel-Díaz Canel, escolheu o ministro do Turismo, Manuel Marrero, para assumir o cargo, que foi eliminado em 1976 e que foi reativado pela Constituição aprovada em abril deste ano.

Único candidato proposto por Díaz-Canel, Marrero foi aprovado por unanimidade pelos deputados. O novo premiê supervisionará o desempenho do governo como “braço direito” do presidente.

Marrero, de 56 anos, é arquiteto de formação e era o ministro com mais tempo no governo, desde 2004, quando foi nomeado por Fidel Castro. Curiosamente, o nome do titular da pasta do Turismo não figurava entre os favoritos a ocupar o cargo, no entanto, ele foi responsável pelo setor considerado o motor da economia cubana e a segunda maior fonte de renda do país.

O novo primeiro-ministro iniciou sua carreira no governo em 1999, como vice-presidente do poderoso grupo hoteleiro Gaviota, das Forças Armadas. Um ano depois assumiu a presidência dessa entidade, cargo que ocupou até ser nomeado ministro do Turismo por Fidel.

Ao fazer a proposta do nome do candidato, Díaz-Canel exaltou “a honestidade, a capacidade de trabalho e a fidelidade” do indicado ao Partido Comunista e à revolução cubana. Destacou também a capacidade do escolhido de negociar com líderes estrangeiros. Durante seu mandato, Marrero deverá interagir com investidores europeus, os principais parceiros comerciais da ilha.

Além de Marrero, foram nomeados os vice-primeiros ministros, o comandante da Revolução, Ramiro Valdés, além de Roberto Morales, Inés María Chapman, Ricardo Cabrisas e José Luis Tapia, que eram vice-presidentes do Conselho de Ministros, além de Alejandro Gil, ministro da Economia.

O ex-presidente e atual líder da legenda partidária única da ilha, Raúl Castro, participou da sessão deste sábado do Parlamento, na qual Díaz-Canel apresentou também uma reforma ministerial, trocando seis responsáveis por pastas estratégicas para a economia da ilha, mergulhada em graves problemas pelas crescentes sanções dos Estados Unidos e pela crise na Venezuela, seu principal aliado.

O cargo de primeiro-ministro foi extinto no país em 1976 e restabelecido pela nova Constituição. Ao contrário do posto de presidente, ele não tem uma limitação de idade ou mandatos.

O ministério do Turismo, por sua vez, será assumido por Juan Carlos García Granda, que era o número 2 da pasta.

 

Deutsche Welle

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *