EUA, Canadá e México assinam acordo para substituir Nafta

Assinatura de nova versão de pacto ocorre depois de mudanças na proposta original e aval do Congresso americano. Fim do Nafta era promessa de campanha de Donald Trump.

11/12/19 – 10h15

Representantes dos governos de México, Estados Unidos e Canadá assinaram nesta terça-feira (10/12) um novo acordo comercial que substituirá o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta). O pacto visa melhorar a aplicação dos direitos trabalhistas e conter o preço de medicamentos ao eliminar uma provisão de patente.

A assinatura do novo tratado ocorreu no Palácio Nacional, sede da presidência do México, e contou com a presença do presidente do país, Andrés Manuel López Obrador, do representante de Comércio Exterior dos EUA, Robert Lighthizer, e da vice-primeira-ministra do Canadá, Chrystia Freeland.

López Obrador definiu o tratado, conhecido como T-MEC, como “um acordo econômico de grandes dimensões”. Segundo o presidente do México, ele trará mais investimento aos três países, mas com respeito à soberania de cada um dos signatários.

Já Lighthizer agradeceu a López Obrador por ter mantido a negociação iniciada pelo ex-presidente Enrique Peña Nieto e disse que o resultado é “o maior acordo comercial da história”.

Freeland, por sua vez, avaliou o T-MEC como de “importância crítica” para os três países e considerou que as negociações produziram um tratado comercial “atualizado, melhorado e modernizado para o século 21”.

O acordo para substituir o Nafta foi assinado há um ano por Peña Nieto, Trump e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, no entanto, precisava do aval do Congresso americano para ser ratificado. O pacto foi barrado pela Câmara de Representantes, de maioria democrata, que exigiam mudanças em relação a padrões trabalhistas e ambientais.

Uma nova versão, que incluía as modificações feitas pelos democratas no Congresso americano, foi então negociada entre o governo dos três países. Nesta segunda-feira, os parlamentares dos EUA deram o aval para o acordo com as mudanças.

Segundo a presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a nova versão é “infinitamente melhor” do que a proposta apresentada pelo governo de Trump em um primeiro momento. “É uma vitória para os trabalhadores americanos”, afirmou.

O pacto assinado prevê, entre outras questões, que 75% dos componentes de um automóvel sejam fabricados nos três países para evitar tarifas. Além disso, 40% das peças devem ser feitas por trabalhadores que ganhem ao menos 16 dólares por hora até 2023.

O Senado do México já havia ratificado a versão antiga do acordo. Agora, López Obrador deverá enviar o novo texto à Câmara dos Deputados do país, reiniciando todo o processo de aprovação. O mesmo ocorrerá no Canadá.

Em seu primeiro ano de governo, Trump deu início à renegociação do Nafta com a intenção de cumprir sua promessa de campanha de 2016 de substituir o que chamou de “pior acordo de todos tempos”. Inicialmente, Canadá e México relutaram em participar das negociações com seu maior parceiro comercial.

 

Deutsche Welle

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *