Parceria com a Delta pode impulsionar planos da Latam no Ceará

A crescente oferta de voos domésticos da companhia chileno-brasileira na Capital pode ganhar força com nova parceria e reaquecer antigos planos da Latam para implementar um centro de conexões, avalia especialista.

30/09/19 – 10h21

A consolidação do hub internacional no Aeroporto de Fortaleza e a venda de 20% da Latam Airlines à norte-americana Delta Airlines podem concretizar os antigos planos da Latam Brasil de implementar um centro de conexões no Nordeste. Além disso, a companhia brasileira pode ainda ampliar a malha doméstica na Capital após a concretização dessa parceria.

“No caso das estratégias da Latam, a partir de agora, ela pode considerar mais o Aeroporto de Fortaleza, o que pode vir a beneficiar o terminal aéreo local. Ele já tem essa natureza de um hub internacional se consolidando, então pode acontecer da Latam reavaliar essa configuração de malha”, analisa Alessandro Oliveira, pesquisador do Núcleo de Economia do Transporte Aéreo do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (Nectar-ITA).

Para ele, é possível que a Latam resgate, em alguns anos, o plano inicial de montar um hub internacional no Nordeste, dessa vez se fixando em Fortaleza. A explicação para tal empreitada é a crescente malha aérea da companhia na Capital e o aumento de voos internacionais para Europa e Estados Unidos a partir do Aeroporto Pinto Martins.

“A compra dos 20% da Latam pela Delta representa um vigor do transporte aéreo brasileiro, que se mostra para o investidor internacional um mercado com muitas potencialidades. Então, a Latam mostra que está tomando as decisões certas ao conseguir essa parceria, que é muito importante para o setor no Brasil”, acrescenta.

Gol

Para Oliveira, por enquanto, nada deve acontecer à empresa Gol até que a Delta venda a sua participação, de cerca de 10%, na companhia. “Independentemente disso, se mantêm as posições em Fortaleza. Os investidores querem explorar o que vem dando certo. E no caso de Fortaleza, é um dos sucessos que têm acontecido”.

Após o anúncio, executivos da Delta afirmaram que “não tiveram escolha” quando o acordo da Latam se apresentou. “Lamentamos a perda da nossa relação com a Gol. Foram ótimos parceiros, amigos, passamos por muito juntos”, afirmou Ed Bastian, presidente da companhia.

Segundo o pesquisador, é possível ainda que a Gol reaja e procure uma nova parceria. “É muito provável que a Gol consiga um outro parceiro para cobrir esse vácuo. Olhando de um ponto de vista otimista, é possível também a intensificação das estratégias, inclusive com a busca de novos capitais para uma expansão”, afirma Oliveira.

Air France-KLM

Cada vez mais consolidado em Fortaleza, o grupo Air France-KLM não deve, no momento atual, mudar sua parceria com a Gol no País. A empresa brasileira é responsável por alimentar os voos internacionais do grupo franco-holandês na Capital, em São Paulo e no Rio de Janeiro, e também é parceira da Delta.

 

Diário do Nordeste

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *