Vereador quer proibir cobrança unicamente eletrônica nos ônibus de Fortaleza

De acordo com Guilherme Sampaio, o sistema de autoatendimento no transporte coletivo tem causado transtornos à população. Na Capital, mais de 500 linhas de ônibus urbanos funcionam exclusivamente com crédito eletrônico.

07/08/19 – 10h05

O vereador Guilherme Sampaio (PT) apresentou, nesta terça-feira (6), Projeto de Lei Ordinária nº 238/2019, que proíbe a cobrança unicamente eletrônica nos ônibus de Fortaleza. De acordo com o parlamentar, o sistema de autoatendimento no transporte coletivo tem causado transtornos à população fortalezense.

O vereador salienta que o problema não é o autoatendimento em si, mas o não recebimento do pagamento em espécie dentro de determinadas linhas de ônibus. “Em sistemas de cobrança de transporte coletivo de outros países, em que não há cobradores, existe a forma de pagamento em espécie, além de haver uma infinidade de pontos de vendas de cartão eletrônico, o que não é o caso de Fortaleza”, ressalta.

Atualmente, conforme dados da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), mais de 500 linhas de ônibus urbanos da Capital funcionam exclusivamente com crédito eletrônico. Para a Prefeitura, o sistema de autoatendimento dá mais segurança aos passageiros e motoristas. Sampaio afirma que esse argumento não se sustenta.

“Nosso povo fica esperando mais de uma hora na parada de ônibus para ir para casa, porque os coletivos que passaram anteriormente não tinham cobrador. Eles têm direito à segurança também enquanto esperam o ônibus”, finaliza.

A Proposta de Lei Ordinária nº 238/2019 prevê que sejam oferecidas as duas formas de pagamento nos coletivos – em espécie e o por meio de cartão eletrônico -, deixando a escolha a cargo do consumidor.

 

Diário do Nordeste

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *