Fortaleza é a quarta cidade mais procurada para férias de julho

Com crescente popularidade da Capital entre viajantes brasileiros e estrangeiros, busca por bilhetes aéreos para Fortaleza em julho dobrou em comparação ao ano passado, segundo levantamento do Kayak.

21/06/19 – 09h15

A cidade de Fortaleza é o quarto destino mais procurado pelos brasileiros para as férias de julho, segundo levantamento realizado pelo buscador de viagens Kayak. A Capital subiu uma posição no ranking em relação a igual período do ano passado e ficou atrás apenas de Lisboa (Portugal), São Paulo (SP) e Santiago (Chile) na preferência dos viajantes.

A busca por bilhetes aéreos com destino a Fortaleza em julho mais que dobrou em relação ao ano passado. Segundo a pesquisa do Kayak, houve um crescimento de 108% da demanda na virada de 2018 para 2019 na plataforma.

Outro levantamento, elaborado pelo Grupo Expedia, mostra que Fortaleza também foi a cidade que apresentou o maior crescimento de demanda por viagens entre os destinos mais procurados no País, com uma alta de quase 35%.

Os dados mostram que o crescimento da preferência pela Capital é seguido pelas cidades de Brasília, Florianópolis, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Búzios, Curitiba, Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu. No cenário nacional, a procura por passagens aéreas cresceu 26% em comparação com igual período de 2018.

Na procura por pacotes de viagem, que incluem bilhetes aéreos e hospedagem, além dos brasileiros, os países que mais demandaram opções para a Capital foram os Estados Unidos, Argentina, França e Espanha. A duração média das viagens pesquisadas a Fortaleza são de quatro dias.

Segundo o líder de Operações do Kayak no Brasil, Eduardo Fleury, a Capital cearense tem apresentado crescimento em praticamente todos os rankings de destinos em destaque da plataforma. “A cidade está hoje consolidada como uma das principais referências de destinos nacionais para pessoas de todo o País, além de ser uma porta de entrada para lugares como Jericoacoara, também muito cobiçado pelos viajantes”, afirma o executivo.

Para Fleury, o aumento na procura pela cidade se dá principalmente pelos investimentos que o Estado tem realizado para promover os atrativos turísticos cearenses e também pela ampliação de voos operados no Aeroporto Internacional de Fortaleza no último ano. “(O Pinto Martins) passou a ser um hub de conexões para vários destinos nacionais e internacionais, ajudando a descentralizar a malha aérea brasileira”, relembra.

Voos extras

E o terminal deverá ficar ainda mais movimentado no período, uma vez que, para suprir a demanda crescente de turistas nessa época, as três principais companhias aéreas brasileiras disponibilizarão voos extras durante a alta estação. Pelo menos 450 voos adicionais irão atender aos quatro aeroportos do Estado: o de Fortaleza, de Jericoacoara, de Canoa Quebrada e de Juazeiro do Norte.

A Azul Linhas Aérea será responsável por 351 desses voos extras, no período do dia 1º de julho até o dia 4 de agosto. A Latam Airlines vai adicionar aos seus serviços 99 novos voos entre 30 de junho e 16 de agosto. Já a Gol Linhas Aéreas Inteligentes confirmou que irá disponibilizar mais voos ao Estado durante a alta estação, mas não informou ainda o número de operações extras que serão adicionadas à sua malha aérea no período.

Hotelaria

A vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE). Ivana Bezerra, endossa que o crescimento da procura pela cidade de Fortaleza é reflexo da divulgação que a Secretaria do Turismo (Setur) está realizando para promover destinos do Estado e pelo aumento da quantidade de voos diretos para a Capital.

No entanto, Ivana afirma que Fortaleza nem sempre é o destino final dos turistas que, muitas vezes, chegam para visitar outros municípios cearenses. “Houve muita procura para Fortaleza, tanto para as praias, como para conexões, porque a Capital virou ponte para outras cidades. Em função do hub, muitos vêm para cá e, daqui, pegam conexões para outros lugares”, avalia.

Dólar alto

Já para Moraes Neto, diretor do Sindicato de Restaurantes, Bares, Barracas de Praia, Buffets e Similares do Estado do Ceará (Sindirest-CE), o aumento da demanda vem também em função da alta do dólar, que faz com que muitos brasileiros desistam de viajar para o exterior e optem por viagens dentro do País.

“Eu acredito que, como a gente teve essa incerteza com o dólar, a oscilação alta talvez tenha contribuído um pouco para que as pessoas tenham se destinado mais para o mercado interno. E dentro do mercado interno, como temos certa preferência, nós levamos essa vantagem”, explica o diretor do Sindirest-CE.

O aumento dessa demanda vem acompanhado de um impacto bastante positivo para a economia, não só da Capital, mas do Estado como um todo. Para Moraes Neto, o turismo é determinante para a situação econômica do Ceará.

“Quando nós recebemos os turistas, existe uma movimentação generalizada da economia porque a atividade deles impacta todos os setores da cidade. São mais de 50 que, diretamente, se beneficiam com os visitantes. Então, isso é muito bom para o Estado”, afirma Moraes Neto.

Perspectiva

Em relação ao turismo na Capital para resto do ano e para o ano que vem, as expectativas são otimistas. Ivana Bezerra afirma que melhorias na infraestrutura da cidade e outros fatores contribuirão para um crescimento ainda maior da procura por Fortaleza como destino de viagem.

“Eu não só espero, como acho que há perspectiva de que a gente cresça bastante no turismo. Principalmente, já em 2020. Têm muitas coisas positivas que estão acontecendo e por acontecer que vão aumentar demais a procura pelo nosso Estado e pela nossa cidade”, explica.

 

Diário do Nordeste

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *