Trump se encontra com rainha Elizabeth em seu 1º dia de visita ao Reino Unido

No período da tarde, a família Trump visitará a Abadia de Westminster, onde o presidente depositará uma coroa de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido. Ainda está previsto, que Trump e Melania tomem o chá da tarde com o príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, e sua esposa Camila.

À noite, o chefe de estado americano participará de um banquete de gala no Estado no Palácio de Buckingham.

Harry e sua mulher, a atriz americana Meghan Markle, não participarão do jantar. De acordo com a BBC, eles ficarão com o filho, o recém-nascido Archie.

No domingo (2), Trump negou ter chamado a duquesa de Sussex de desagradável apesar de um áudio com a declaração ter sido registrado. Durante a campanha que levou Trump ao poder em 2016, Meghan apoiou a sua opositora democrata, Hillary Clinton, e chegou a se referir a ele como misógino.

O presidente e a primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, estão hospedados na residência do embaixador americano em Londres.

Polêmica com o prefeito

Pouco antes de chegar ao aeroporto de Stansted, na região de Londres, o presidente tuitou uma crítica contra o prefeito londrino, Sadiq Khan.

“Sadiq Khan, que faz um péssimo trabalho como prefeito de Londres, tem sido de modo insensato ‘desagradável’ com o presidente dos Estados Unidos, de longe o aliado mais importante do Reino Unido. Ele é um total perdedor que deveria se concentrar no crime em Londres, não em mim”, declarou.

Khan, que é do Partido Trabalhista, criticou a recepção ao presidente americano com todas as honras de uma visita de Estado. Em um artigo no jornal “The Observer”, ele comparou a linguagem de Trump com a dos “fascistas do século XX” e o incluiu no mesmo grupo que os extremistas Viktor Orban na Hungria, Matteo Salvini (Itália), Marine Le Pen (França) e Nigel Farage (Reino Unido).

Em novembro de 2017, Sadiq Khan, que é muçulmano e de origem paquistanesa, chegou a pedir à Theresa May que suspendesse qualquer convite para Trump visitar o Reino Unido depois que o presidente americano retuitou vídeos anti-islâmicos de um grupo britânico de extrema direita.

A primeira visita de Trump ao Reino Unido, em julho de 2018, foi marcada por protestos. Naquela ocasião, o prefeito londrino autorizou manifestantes a utilizarem um balão inflável gigante que representava Trump como um bebê — decisão que foi interpretada como uma hostilidade por parte dos apoiadores do presidente americano.

A visita também foi marcada por críticas que Trump fez contra a premiê Theresa May. Na época, ele reprovou o acordo proposto por May para Brexit, como ficou conhecida a retirada do Reino Unido da União Europeia.

G1

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *