Talude de mina pode se romper a qualquer momento e Vale está em alerta máximo em Barão de Cocais

A mineradora conseguiu autorização para colocar 200 trabalhadores dentro da mina, que está interditada, para obras de contenção da onda de lama caso a barragem se rompa. O objetivo é conter a velocidade da lama e parte dos rejeitos dentro da mina.

Blocos de granito serão alinhados em uma barreira de contenção e em outro ponto será construído um muro de 35 metros de altura, também para conter a lama. Também serão instaladas telas metálicas para reter sedimentos.

A Vale garante que todos os funcionários estão treinados para deixar a área em segurança em caso de emergência. Ainda segundo a mineradora, a previsão é que todas as obras sejam concluídas em novembro.

A empresa ainda mantém uma sala de monitoramento geotécnico, onde dados chegam em tempo real 24 horas por dia.

Arte mostra mapa de área de risco em Barão de Cocais — Foto: Wagner Magalhães/Arte G1

Simulados de emergência

A população de Barão de Cocais passou por dois treinamentos de simulação de situação de emergência, caso a barragem se rompa.

No primeiro treinamento, 60% dos moradores participou da ação. Já no segundo, a adesão foi de 26,75%. De acordo com Defesa Civil de Minas Gerais, alguns moradores alegaram que já tinham participado do primeiro treinamento e que já conheciam a rota de fuga para justificarem a ausência no segundo simulado.

Os moradores devem seguir para pontos de encontro seguros, sem correria. As calçadas da cidade por onde a lama pode passar estão sinalizadas com a cor laranja. Placas também indicam o caminho do pronto de encontro mais próximo.

Carros de som estão posicionados em pontos estratégicos da cidade para avisar a população em caso de rompimento da barragem.

G1

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *