Dodô busca ser o homem da criação no meio-campo tricolor

Ele já fez quatro jogos pelo Leão, mas sofre com a falta de condicionamento

12/03/19 – 10h18

As inscrições do Campeonato Cearense 2019 terminaram na última sexta-feira (8) e, a priori, isso frustrou torcedores do Fortaleza em relação a mais uma peça que seria fundamental para o término do Campeonato Cearense. Em todo esse período de contratações para a temporada, o Leão demorou para achar um Camisa 10 ideal: criativo, participativo, que cumprisse funções defensivas e com a capacidade de suprir a expectativa de sua torcida.

O tão esperado anúncio foi feito no dia 6 de fevereiro. Com uma ótima passagem no ano passado, levando o clube ao título da Série B, Dodô teve seu vínculo de empréstimo junto ao Atlético/MG renovado e foi novamente cedido ao Tricolor. Rogério Ceni teria ali uma solução? Por enquanto, a posição ainda traz dúvidas para a comissão técnica.

A verdade é que Dodô ainda não possui o físico ideal, além de sofrer com a responsabilidade de ser o único jogador que, tecnicamente, pode cumprir o papel de “Camisa 10”. Nos seus quatro jogos nesta temporada, o meia não atuou, em nenhum deles, todos os 90 minutos.

No Clássico-Rei do último domingo, o Camisa 10 saiu aos 18 minutos do 2º tempo por opção de Ceni. “Acho que ele sentiu a parte física. Correu muito para marcar, ele se dedicou bastante. É um jogador que tem talento e em uma semana bem trabalhada tenho certeza que vai produzir como vinha produzindo na Série B do ano passado”, destacou.

Nomes que não vingaram

Buonanotte, Camilo, Wagner e, por último, Nenê. As especulações ainda deram esperanças ao torcedor. Ederson foi o protagonista do meio-campo no início do ano.

Rogério não conta com Madson, que atuou apenas 27 minutos pelo Leão e não teve mais oportunidades, por opção do treinador. Cabe a ele e à diretoria resolver a questão.

 

Com informações do Diário do Nordeste

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *