Voluntário usa motoaquática para resgatar moradores ilhados em alagamento em São Paulo

Temporal deixou 2 mortos na Grande SP. Há vários pontos de alagamento e quedas de árvores.

11/03/19 – 09h05

Um voluntário usou uma motoaquática para ajudar resgatar moradores ilhados na região do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo, na noite de domingo (10), após o temporal que atingiu a capital paulista e região metropolitana, em um gesto de solidariedade.

Com os carros completamente debaixo d’água e passageiros sobre os veículos, o motoboy Rafael de Almeida decidiu ajudar no resgate após receber um telefonema de um amigo.

“Comecei a salvar uma pessoa, duas, quando vi já tinha socorrido umas 20 pessoas eu e meus amigos”, conta.

Na manhã desta segunda-feira (11), as piores regiões eram a Marginal Tietê, Ipiranga, Cambuci, Vila Prudente, Mooca e o ABC paulista.

O maior volume de chuva registrado entre a noite deste domingo (10) e manhã desta segunda (11) foram os bairros do Jabaquara (109,5mm), Vila Prudente (103,3mm), Vila Mariana (94,6mm), Sapopemba (88,5mm), Ipiranga (85,8mm) e Mooca (54,7mm).

Transtornos

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foram registradas 601 ocorrências de enchentes, 34 quedas de árvores e 54 ocorrências de desabamento, entre 0h e 6h30 desta segunda.

Duas pessoas morreram e duas ficaram feridas em um grave deslizamento de terra em Ribeirão Pires, na Grande SP. Os resgatados eram uma mulher e uma criança. Por volta das 7h desta segunda (11), duas pessoas estavam desaparecidas no local.

Em outro deslizamento, no Parque São Rafael, na Zona Leste, uma criança foi socorrida com parada cardíaca.

No Jardim Zaíra, em Mauá, três casas desabaram após um deslizamento de terra. Ninguém se feriu. O mesmo bairro registrou a morte de 4 crianças em fevereiro após outro deslizamento.

Um ônibus em São Caetano do Sul, no ANC, ficou ilhado pela água. Os passageiros ficaram presos no coletivo desde às 9h. Um homem de pé, com uma criança no colo, contou que deixou seu carro no estacionamento de um supermercado, pois não tinha como sair. “Tá cheio d’água {o carro]. Tá boiando lá”, contou.

Uma mulher estava desesperada, porque deixou o pai doente em casa sozinho e não consegue voltar do trabalho. “Eu sai para trabalhar, sou filha única, meu pai é acamado, deixei ele sozinho e não consigo voltar. Tô pedindo ajuda dos bombeiros, tento voltar desde a meia-noite e não dá”, disse ela, que estava ao lado de casa. “Meu pai é deficiente, ele usa fralda, tem uma doença neurológica e está sem comer”, lamentou ela aos prantos.

Rodízio suspenso

A forte chuva que atingiu a Grande São Paulo na madrugada desta segunda-feira (11) fechou uma linha da CPTM e fez com que o rodízio fosse suspenso nesta manhã. Muitos motoristas ilhados ficaram presos em pontos de alagamentos, especialmente nas marginais Tietê e Pinheiros, Avenida do Estado e região do ABC paulista.

Também foram suspensos a Zona Máxima de Restrição de Circulação, a circulação de fretados e da Zona Azul. A CET alerta que as faixas exclusivas de ônibus e os corredores de ônibus não foram liberados.

No bairro do Sacomã, no sudeste da capital, carros foram levados pela força da água e outros veículos ficaram ilhados pela enchente forçando seus ocupantes a ficarem no teto dos veículos.

O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo (CGE) informou que há 18 pontos intransitáveis na cidade (veja a lista dos pontos ao final desta reportagem). A circulação de trens na Linha 10-Turquesa da CPTM está interrompida, sem previsão de normalização.

A Marginal Tietê está em estado de alerta para transbordamento, com risco elevado nas pontes da Dutra, Piqueri e Limão, segundo o CGE.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo, por volta das 22h do domingo houve transbordamento do Córrego da Mooca e do Rio Tamanduateí na Avenida do Estado.

Mortes

Dois homens morreram em Ribeirão Pires, na Grande São Paulo, após um deslizamento de terra. Outras duas pessoas que estavam no imóvel atingido estão desaparecidas e duas foram socorridas para hospitais da região.

Com informações do G1

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *